Tá na Stereo Mix , Tá bom demais!

Saiba quem é a vítima de sequestro e latrocínio em sítio de São Pedro

A mulher vítima de sequestro e assalto seguido de morte em um sítio em São Pedro (SP) era Vanessa Veroneze Francisco, de 36 anos. O crime ocorreu na madrugada de segunda-feira (27) e, durante a ação, o marido da vítima sofreu ferimentos e ameaças.

Leia Mais:

Marido de vítima de latrocínio em São Pedro relata momentos de terror durante assalto: ‘pensei na minha filha’

Mulher é sequestrada e morta durante roubo a sítio em São Pedro

Vanessa deixa seu marido e uma filha, de 7 anos. O corpo da vítima foi velado na segunda, no Memorial Bom Jesus. O sepultamento ocorreu às 10h desta terça-feira (28), no Cemitério Municipal de São Pedro.

Vanessa foi morta durante um assalto no sítio em que residia em São Pedro — Foto: Reprodução/EPTV
Vanessa foi morta durante um assalto no sítio em que residia em São Pedro (Foto: Reprodução/EPTV)

Em entrevista à reportagem, o marido da vítima, que preferiu não se identificar, relatou que os criminosos pareciam saber da existência do dinheiro em casa. O familiar contou como foi o momento em que a esposa abriu a porta.

“Ela achou que era o irmão dela chamando. No que ela abriu a porta já foi rendida pela pessoa. E pedindo dinheiro, ‘quero dinheiro, quero dinheiro’. Eu falei ‘não tenho dinheiro’. Do jeito que eu falei que não tinha dinheiro, tomei um soco aqui na boca. Ali ele falou ‘tem dinheiro, sim, eu sei que tem dinheiro aqui’”, contou.

O parente relembrou como foi abordagem e ação truculenta dos criminosos com ele e com a mulher. Os suspeitos ainda foram muito rápidos e fazê-lo tomar um comprimido.

“Do jeito que ela foi pegar a bolsa, ele me puxou pra fora, deu um murro no estômago, fiquei no chão meio caído. Jogou as coisas dela no chão, pegou o dinheiro que ela tinha. Eu sei que ela tinha R$ 6 mil. Pegou, tirou dois comprimidos do bolso, branco, pequenos, e falou ‘você tem que tomar esses comprimidos. Se você não tomar esses comprimidos vou matar sua filha que tá no berço’”, disse.

Uma familiar que também não quis ser identificada na reportagem descreveu a vítima como uma pessoa gentil e boa mãe.

“A Vanessa era uma menina meiga, uma menina boa, uma excelente mãe. Tinha um amor pela filha dela muito grande, cuidava muito bem da filha dela. Era uma pessoa que a gente não consegue entender o que aconteceu, porque não tinha motivo. Não tinha motivo pra pessoa fazer um negócio desse”, lamentou.

 

Fonte: G1

plugins premium WordPress