Tá na Stereo Mix , Tá bom demais!

Professora admite ter beijado aluno de 14 anos e é demitida de escola no litoral de SP

Uma professora de artes de 25 anos admitiu a uma de suas alunas, por mensagens de texto, que beijou um estudante de 14 anos do 9º ano do ensino fundamental. A docente dava aulas na escola municipal Vereador Felipe Avelino Moraes, em Praia Grande, litoral de São Paulo, e foi demitida. O nome dela não foi revelado.

O caso aconteceu em maio, mas só ganhou repercussão agora, depois de um dos ex-alunos dela ter sido agredido por outros estudantes, que teria denunciado a professora.

No último dia 14, o mesmo estudante foi novamente agredido e precisou ser hospitalizado. A professora foi demitida em outubro.

A troca de mensagens

A professora enviou mensagem a uma de suas alunas no dia 1º de maio na qual relata ter beijado o estudante do 9º ano. “Amiga, preciso te contar um grande segredo, não vou contar pra ninguém além de você porque confio muito [em você]. Peguei o [nome do aluno].”

Em seguida, a docente diz que queria transar com o estudante.

A aluna respondeu com uma reação de espanto: “Senhor, que ‘zuado’ [sic]!” A própria, então, denunciou a professora à direção da escola.

A gestora teria colocado a aluna e a professora frente a frente e as confrontado sobre o ocorrido.

Caso de agressão

Helena Cristina Andria, de 51 anos, é mãe do aluno que foi espancado após a denúncia contra a professora ser revelado. A criança, que também tem 14 anos, foi acusada por outros alunos de ter envolvimento com a delação.

Ela conta que a primeira agressão ocorreu ainda em setembro, quando três outros estudantes da unidade o abordaram e o atacaram fisicamente. Na ocasião, ele foi chamado de “cagueta”, termo popular utilizado para quem denuncia alguém.

Segundo o advogado Thiago Rodrigues, representante de Helena e de seu filho, na época a escola não tomou nenhuma atitude efetiva a respeito do ocorrido.

“A minha cliente foi até a escola, relatou o fato e falou com a diretora. Só que a diretora não tomou nenhuma atitude efetiva. A professora só foi desligada”, contou o advogado à CNN.

A agressão mais recente contra o mesmo aluno ocorreu na semana passada, segundo a mãe. Por volta das 16h do dia 14, o garoto estava passando por uma praça após sair da aula quando sete rapazes, alunos do mesmo colégio, o agrediram com socos e pontapés. Entre os agressores estaria o estudante que se relacionava com a professora.

Dois dias depois das agressões, ele precisou ser medicado e internado, ainda de acordo com a família. A mãe acionou a Guarda Civil Municipal (GCM) e registrou um boletim de ocorrência.

Ainda segundo o advogado, não houve qualquer tipo de suporte oferecido ao aluno pela unidade escolar e nem pela Secretaria de Educação do município.

O que dizem os envolvidos

Por meio de nota, a prefeitura de Praia Grande informou que a professora envolvida no episódio foi desligada por má conduta.

A Secretaria Municipal de Educação garantiu que a direção da escola remeteu os fatos ao Conselho Tutelar.

Sobre as agressões, a pasta afirmou que o caso não tem relação com o episódio de envolvimento da professora com o aluno menor de idade e que a briga ocorreu fora da unidade escolar.

Já a Polícia Civil comunicou que o caso foi registrado no 3º DP de Praia Grande.

Mais detalhes sobre o ocorrido não foram divulgados pela polícia para preservar os envolvidos, que são menores de idades. Por esse motivo, não foi informado se a professora foi indiciada por algum crime.

Fonte: CNN Brasil

plugins premium WordPress